A propósito da doença mental

d71c2425bf32e51c972715873fbdc592

Via:Pinterest

Olá!

Fazendo uma breve referência ao dia dedicado à doença mental (último sábado), trago hoje um pequeno texto relativo ao tema, pois todos os dias ouvimos falar em Fobias, Personalidade Paranoide,Perturbação Obsessivo-Compulsivo, Esquizofrenia, etc… e muitas pessoas não compreendem muito bem estas diferenciações.

Para uma simples e vaga compreensão como a doença mental se diferencia, trago-vos um pequeno excerto de um livro que li e de que gostei bastante.

O livro chama-se” Como tornar-se doente mental” é um livro bastante interessante, em que o autor de forma humorística ensina a compreender e como evitar a doença mental, onde aborda as várias doenças mentais com critérios da DSMIV para o diagnóstico destas doenças. O autor do livro é o Professor Pio Abreu, Psiquiatra do Hospital da Universidade de Coimbra e Professor Associado da Faculdade de Medicina.

“Como não ser doente mental”

” …Todos temos direito a ser um bocadinho fóbicos quando um desgraça se abate sobre nós, um pouco paranoides quando nos envolvemos numa luta difícil, ligeiramente obsessivos enquanto estudamos a complexidade das coisas, um pouco histriónicos quando nos queremos impor aos outros. Da tendência esquizoide nascem teorias inovadoras e, através das mudanças de humor, a criatividade. Se o leitor conseguir fazer tudo isto com sucesso, os meus parabéns: sabe respeitar os contextos da vida e adequar-se a eles…

… Evite mentir a si próprio, e não faça como os histriónicos que mentem primeiro a si próprios para se convencerem que são sinceros para os outros. Se não se mentir a si próprio, descobrirá que ė uma pessoa com limites e deixará de querer ir a todas, como fazem os fóbicos. Também não será dono da verdade nem tão importante como são os paranoicos. Não será o mais perfeito, o que fica para os obsessivos, nem tão brilhante ou poderoso como os histriónicos e psicopatas. Não será uma pessoa muito especial, como os esquizofrénicos, nem um génio, como os maníaco-depressivos. Será apenas uma pessoa comum que aceita os desafios e os paradoxos da vida, faz o possível para, em cada momento, dar o que pode e actuar em conjunto com os outros. No entanto, tem de assumir a responsabilidade completa pelas suas acções. Afinal, todos fomos expulsos do Paraíso e condenados à solidariedade. Fizemos das fraquezas forças e, uns com os outros, construímos coisas admiráveis.

Convenhamos entretanto que tudo isto é muito complicado, pouco gratificante e difícil de fazer. Fácil, fácil, é mesmo tornar-se doente mental.”

Uma boa semana para todos!

Maria José

Este Blog foi feito com todo o carinho para ajudá-la a pensar mais em si. Se tiver sugestões de temas ou dúvidas para serem respondidas é só enviar um email para avidaemtonssuaves@gmail.com

Comments

  1. Ivone Almeida says:

    Boa noite Maria José
    Gostei da Frase “Fácil, fácil é mesmo tornar-se doente mental”. Realmente eu sou como aquelas pessoas que fazem montes de coisas ao mesmo tempo e não querem falhar em nada, mas isso não me torna fóbica nem louca ainda. Tenho sim , fobia a tanta papelada que por vezes é desnecessária. Muitas vezes refiro que andam todos loucos , lá na escola, com tanta coisa a concretizar. Andamos sempre com mudanças de humor, ou nos rimos, ou gritamos ou inventamos novas coisas para nós e os outros trabalharem, ou lamentamos ter alunos desinteressados e famílias disfuncionais ou corremos por toda a escola dum bloco para outro, sempre a resolver situações, ou a sensibilizar os alunos para o estudo e para a Amizade que deve existir entre todos ou a promover atividades e projetos entre muitas outras coisa que desenvolvemos todos os dias. Todos os dias há novas aventuras. Às vezes ouve-se ” Qualquer dia enlouquecemos, não falta muito”. Mas eu acho que “se não enlouqueci, já não enlouqueço”.
    Já presenciei tanto e já vivi tanto!!!… E tenho tido tanta paciência e compreensão nesta minha simples vida que vai ser difícil passar-me!!! Só se alguém me tirar do sério e eu nessa altura me desorientar, porque a má educação é algo que me toca no fundo e pode levar.me a agir sem pensar nas consequências. Mas esperemos que a loucura não chegue e nos mantenhamos lúcidos até ao fim. Bom vou mergulhar novamente em papelada, desta vez na elaboração de uma ata de Departamento. Muito obrigada pela explicação relacionada com o tema. Beijinhos Ivone

    Liked by 1 person

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: